Opinião – A Agenda positiva

Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook
Sociedade precisa acompanhar

Sociedade precisa acompanhar

Zero Hora – Embora tenha um fundo visivelmente eleitoreiro, a agenda positiva da presidente Dilma Rousseff em Porto Alegre merece atenção e reconhecimento, tanto pela ênfase conferida ao ensino de qualidade quanto pela atenção dispensada à mobilidade urbana. No primeiro compromisso oficial do dia, a presidente aproveitou a formatura de mais de 2,2 mil alunos de cursos profissionalizantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para enfatizar a importância da educação na redução das desigualdades. Já a solenidade seguinte, destinada à entrega de maquinário para construção e manutenção de estradas, surpreendeu pelo anúncio de investimentos em três obras de mobilidade urbana fundamentais para o Estado. Assim como ocorre em casos como o da aguardada segunda ponte do Guaíba, confirmada anteriormente mas ainda em fase de projeto, é importante que os gaúchos passem a acompanhar de perto esses compromissos de tanta importância para o Rio Grande do Sul assumidos publicamente.

Dois dos projetos confirmados ontem têm potencial para atenuar o sofrimento de quem se desloca diariamente entre municípios da Região Metropolitana. O primeiro deles é a extensão de 32 quilômetros da BR-448, a Rodovia do Parque, a um custo estimado de R$ 530 milhões, o que deverá contribuir para ampliar o acesso à Região Metropolitana de Porto Alegre e à região de Caxias, reduzindo os engarrafamentos. A presidente comprometeu-se também com a adoção de medidas complementares, como o alargamento de viadutos e a transformação de acostamentos em terceira faixa de trânsito, a um custo estimado de R$ 330 milhões. E anunciou a extensão da BR-392 entre Santa Maria e Santo Ângelo, no centro do Estado, a um custo estimado de R$ 1,6 bilhão, com o objetivo de facilitar o trânsito de pessoas e da produção. São, todas elas, obras essenciais para um Estado que não pode continuar arcando indefinidamente com custos tão elevados de infraestrutura.

Educação de qualidade e melhorias na estrutura viária, como as confirmadas ontem em Porto Alegre pela presidente da República, são questões vitais para o Estado se mostrar mais competitivo. É inconcebível que, numa época de pleno emprego, mesmo num cenário econômico adverso, o Rio Grande do Sul enfrente carência de mão de obra especializada em diferentes frentes de trabalho. É igualmente inaceitável que, a cada ano, os gaúchos continuem perdendo o equivalente a R$ 624 milhões, nos cálculos da Agenda 2020, quando os congestionamentos diários da BR-116 se estendem por uma hora.

Em meio a um cenário de dificuldades financeiras como o atual, é promissor para o Estado que o governo federal se mostre disposto a colaborar para a resolução de alguns de seus problemas mais cruciais. O simples fato de os anúncios terem sido feitos no momento em que as atenções já estão voltadas para as eleições de 2014, porém, reforça a necessidade de a sociedade se manter vigilante, evitando que as expectativas tão favoráveis venham dar lugar a frustrações.

(Editorial publicado no dia 13/4)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *