Presídio Central de Porto Alegre será modificado até 2014

Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook
Informação foi divulgada durante  reunião do Conselhão

Informação foi divulgada durante reunião do Conselhão

Da Agenda –  O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Cdes-RS) instalou nesta sexta-feira  3/5, a Câmara Temática Segurança Pública.

O evento, que ocorreu em Porto Alegre, na sede do Conselhão, contou com a participação de integrantes da alta cúpula do setor no Estado.

O diretor executivo da Agenda 2020, Ronald Krummenauer,  participou do encontro.

– Solicitamos a inclusão do tema ” integração da segurança pública e privada” nos debates da Câmara  – afirmou Krummenauer.

O titular da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Airton Michels, destacou as principais políticas da área como a valorização profissional dos policiais e servidores, a integração dos diferentes órgãos que atuam neste segmento, o programa Territórios de Paz, Polícia Comunitária e Patrulha Maria da Penha.

Destacou dados sobre a violência contra a mulher, observando que, em 2012, um total de 149 mulheres foram assassinadas. Também disse que 75% das ocorrências por agressão nas delegacias são contra mulheres.

Michels informou que há cinco patrulhas Maria da Penha funcionando e outras 15 serão criadas, além da Sala Lilás, no Instituto Geral de Perícias.

Sobre o Presídio Central, informou que a casa será modificada até 2014, sendo desativada ou reformulada.

– Se não for extinto, será de excelência – declarou.

Dos 5,3 mil presos no início de 2011, atualmente são 4,3 mil e outras 1,5 mil vagas serão criadas no segundo semestre em casas prisionais em outros municípios para reduzir a lotação.

O chefe da Polícia Civil, Ranolfo Vieira Júnior, informou que 65% dos homicídios do RS ocorrem em 11 municípios, o que motivou a implementação de um programa inédito que está completando um ano com sucesso.

Apenas 20% eram desvendados, passando para 70% com o novo programa, servindo de inspiração para outros Estados, como o Rio de Janeiro que está conhecendo a experiência.

Destacou, ainda, que 88% dos roubos de veículos ocorrem em 15 municípios, o que concentra as operações especializadas de investigação nesta área. Disse ainda que os policiais estão motivados pela valorização profissional e aumento salarial.

O superintendente de Serviços Penitenciários, Gelson Treiesleben, informou que dos 29,5 mil presos no RS, um total de 12 mil trabalham.

A Agenda também esteve presente na reunião através da participação do coordenador do fórum de Segurança do movimento, Raul Jose Ferreira Dias e Lena Martins, da Secretaria Executiva da Agenda.

(Com informações do Governo do Estado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *