Governo começa a resolver problemas do presídio central

Posted on Posted in AGENDA DA AGENDA, SEGURANÇA
Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook
Secretário de Segurança do RS, Airton Michels
Secretário de Segurança do RS, Airton Michels

Da Agenda – O secretário de Segurança Pública, Airton Michels, falou sobre a gestão do sistema prisional gaúcho, juntamente com o superintendente dos Serviços Penitenciários, Gelson Treieslben, nesta quarta-feira , 5/6.

De acordo com Michels, o Presídio Central de Porto Alegre terá uma nova estrutura ou será encaminhado para a desativação até o final de 2014.

O cronograma de esvaziamento do local, com previsão de obras – que vão criar 4.904 vagas no regime fechado e 450 no semiaberto até o final da atual gestão – foi apresentado durante o encontro.

– Ainda falta muito para que o Central fique como nós queremos, mas é a primeira vez que o Estado se mostra comprometido em resolver a situação com obras que já estão acontecendo – disse

Lembrou que o presídio, que tem capacidade para 2.069 presos, chegou a ter mais de 5,3 mil em 2010. Ele reconhece que a situação está longe da ideal, mas hoje este número baixou para 4.461. Michels ainda destacou que a gestão se preocupa com questões humanitárias.

O superintendente da Susepe destacou o trabalho prisional. Dos 29 mil detentos de todo Estado, cerca de 12 mil trabalham.

– Haverá construção de anexos em Venâncio Aires, Guaíba, Arroio dos Ratos e Novo Hamburgo, com mais 150 vagas em cada estrutura – afirmou

A obra está em fase de implementação do projeto para, em seguida, ser definida a contratação emergencial das empreiteiras que iniciarão os trabalhos.

 Há 144 detentos que estudam dentro do Central e cerca de 50 que participam de um projeto de recuperação da dependência química.

(Com informações do Governo do Estado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *