14 lugares que vão te deixar com vontade de viajar pelo Rio Grande do Sul

Posted on Posted in Rio Grande do Sul
Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook

Tem cânions, lagoas, cidades históricas – e quase tudo vem acompanhado por comida.

1. O Butiá

Antiga fazenda na beira do rio Guaíba, O Butiá deu uma guinada hipster depois de sediar o MECA Festival de 2016. Nos demais finais de semana, é um restaurante de comidas orgânicas onde acontecem eventos culturais. Depois de almoçar dá para assistir a shows, fazer trilhas ou somente “lagartear” – palavra gaúcha que significa ficar deitado ao sol feito um lagarto – num cenário bonito. Butiá é uma frutinha típica do Sul que se usa para fazer cachaça.
Fica no Parque Estadual de Itapuã, em Viamão, a apenas 57 km do Centro de Porto Alegre. Este é o site do lugar.

2. Parque da Guarita de Torres

Em Torres, praia bem próxima à divisa com Santa Catarina, a água do mar é bem mais azul e cristalina do que nas demais praias do Estado. Se for para visitar um único ponto turístico de Torres, que seja o Parque da Guarita, com suas formações rochosas e areia limpinha. Confira mais informações no site da prefeitura de Torres.

3. Vale dos Vinhedos

Vale dos Vinhedos Oficial instagram.com

Vale dos Vinhedos Oficial instagram.com

O passeio consiste em visitar as várias vinícolas e seus respectivos restaurantes, em meio à paisagem verde e suave, que realmente lembra as colinas da Itália. No caminho, você encontrará diversos rodízios de massas e produtores de queijos, conservas e geleias. O que levar: um casaquinho e bastante fome. O que não levar: sua dieta. Informe-se sobre os passeios aqui.

4. Vinícola Casa Valduga

O rodízio de massas do restaurante Maria Valduga, na própria vinícola, serve pratos que são requintados sem perder o sabor caseiro. Tem até várias opções sem carne, como massa ao pesto, com tomate fresco e azeitonas, quatro queijos e outras delícias. Depois, quem quiser pode passar na loja de vinhos para degustar e levar algumas garrafas para casa. Não vai sair barato, mas é uma pausa bem gostosa no passeio pelo Vale dos Vinhedos. Este é o site da vinícola.

5. Cidade de Antônio Prado

miriamcardososouza / instagram.com

alana_btcn instagram.com

Você vai se sentir tão dentro da colônia italiana que vai começar a falar com sotaque de novela. A 185 quilômetros de Porto Alegre, esse cantinho da serra gaúcha tem casinhas tombadas, artesanato, natureza e claramente não poderia faltar a culinária. Saiba mais sobre Antônio Prado aqui!

6. Cânion do Itaimbezinho

trilheirasdobrasil / instagram.com

simoneluisa80 / instagram.com

Um abismo verde em meio ao nevoeiro, localizado no Parque dos Aparados da Serra de Cambará do Sul, a 200 km de Porto Alegre. Aqui tem mais informações, e neste post do blog Viaje na Viagem você encontra mais algumas dicas sobre quais pontos vale visitar.

7. Pedra do Segredo

A Pedra é famosa por ter a forma de duas cabeças de gorila e é uma ótima localidade para trilhas, que incluem escalar o morro – perfeito para ver o pôr do sol, mas lindo também de dia – e explorar as três cavernas que ficam na sua encosta: a Caverna da Escuridão, o Salão das Estalactites e Percival Antunes (esse é o nome do seu descobridor). A Pedra do Segredo fica no município de Caçapava do Sul, a 259 km Porto Alegre. Saiba mais aqui.

8. Minas do Camaquã

_eu_caarlos instagram.com

Além de você poder visitar as minas abandonadas, vale conhecer a Lagoa Azul: por causa do PH da água, nela não há bactérias e por isso reflete perfeitamente a cor do céu. Minas do Camaquã também fica perto de Caçapava do Sul, portanto também é um ótimo lugar para trilhas e caminhadas.

9. Piratini

paulobasgalupe / instagram.com

Piratini foi a capital da República Rio-Grandense durante a Revolução Farroupilha e pano de fundo da novela “A Casa das Sete Mulheres”. Embora derrotada, a Revolução não deixa de ser celebrada, especialmente em Piratini. As maiores atrações são seus 23 prédios históricos tombados e o city tour temático, no qual atores com roupas de época encenam acontecimentos da Guerra dos Farrapos. Neste site você encontra várias informações para que quer visitar a cidade.

10. São Miguel das Missões

Por Tempo no Tempo –  Flickr as HDR Ruínas.

As ruínas de Sâo Miguel são as mais preservadas das colônias jesuítas dos Sete Povos das Missões. Toda noite tem um show de luzes que conta a história da missão e além disso há o Museu das Missões para visitar. Neste post do blog Férias Brasil tem mais informações.

11. Estação Ecológica do Taim

rosaneschaefer / instagram.com

Na região de Rio Grande se encontra este oásis ecológico onde são preservadas 230 espécies de aves – o Taim é o berçário delas – além de capivaras, jacarés e graxains, espécie de cachorros-do-mato típicos da região. A Estação Ecológica não tem site, mas você pode ver mais informações no da prefeitura de Rio Grande.

12. Molhes da Barra de Rio Grande

jairconti / instagram.com

Prefeitura de Rio Grande / riogrande.rs.gov.br

No porto de Rio Grande, no Sul do Estado do Rio Grande do Sul, há um carrinho que atravessa os braços de rocha próximos ao cais, que entram oceano adentro. Ele anda sobre trilhos, puxado por uma vela movida pelos fortes ventos da praia e vai até o final da ponta de pedras dos Molhes, um bom lugar para pescar. Saiba mais aqui.

13. Pelotas

anamariabessilpires / instagram.com

Biblioteca Pública de Pelotas

Por Fabrício Marcon – Flickr: cadeafoto

Para todos os gaúchos Pelotas é sinônimo de doces, principalmente aqueles de origem portuguesa, com bastante ovo e nenhuma economia no açúcar. Não é a à toa que a cidade hospeda a Fenadoce, a maior feira de doces do Brasil. Além disso, é possível visitar as charqueadas, fazendas de produção de charque que fizeram a riqueza da idade no século 19. Saiba mais aqui.

14. São Lourenço do Sul

Pertinho de Pelotas está São Lourenço, a Pérola da Lagoa dos Patos, uma das atrações da chamada Costa Doce. Nas suas praias calminhas dá para praticar esportes aquáticos e fazer passeios de escuna. Outra atração é o Caminho Pomerano, uma rota para conhecer a colônia dos imigrantes vindos da Pomerânia (uma região hoje extinta que ficava entre a Polônia e a Alemanha): tem visitas a casas coloniais e degustação de iguarias típicas. Você pode se informar aqui.

Colaboraram: José Francisco Botelho e Jacques Ortiz

Fonte: Buzzfeed

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *