Percentual de famílias endividadas vai a 71,1% em maio no RS

Posted on Posted in ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook

O percentual de famílias endividadas no Rio Grande do Sul em maio atingiu 71,1%, índice superior ao registrado no mesmo período do ano passado (62,3%)

Os dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), divulgada nesta quinta-feira (1º) pela Fecomércio-RS, mostra que o indicador permanece mais alto motivado pelas restrições de renda e pela necessidade das famílias em recorrer a empréstimos para manter o nível de consumo. No entanto, o indicador não atingiu nível extremo já observado em seu histórico, no patamar de 80%. Acesse a pesquisa aqui.

“Apesar do dado ruim, não há sinal de agravamento no quadro de endividamento e inadimplência em maio. Diante do cenário atual, isso pode ser considerado um fator positivo”, afirma o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

O dirigente lembra que o Estado e o País já passaram por situações piores no passado recente. “Renda e emprego são fundamentais para que esse quadro melhore”, afirma Bohn, que espera um impacto positivo nos próximos meses com a redução de taxa de juros oficial (Selic).

O levantamento indica que a parcela da renda comprometida com dívidas em maio, na média em 12 meses, foi de 32,9%, levemente superior ao mês de abril/2017 (32,7%).  Já o tempo de comprometimento da dívida no período de 12 meses não se alterou, ficando em 7,9 meses. O cartão de crédito ainda é o principal meio de dívida dos gaúchos, apontado por 83,0% dos entrevistados, seguido por carnês (29,1%), financiamento de veículos (19,2%) e crédito pessoal (15,7%).

A conjuntura formada por redução de emprego e renda vem estabelecendo uma pressão para o aumento da inadimplência entre as famílias gaúchas. Em maio, o percentual de famílias com contas em atraso cresceu para 36,3%, ante 28,8% verificados em maio/2016. Apesar da continuidade das dificuldades relacionadas a emprego e renda, nos próximos meses pode haver algum alívio da pressão sobre o indicador de inadimplência, a partir da redução dos juros.

A pesquisa mostra que o percentual de gaúchos que não terão condições de honrar suas dívidas vencidas no prazo de 30 dias teve alta em maio (12,1%) na comparação com maio/2016 (11,1%). Apesar de alguma redução em relação a abril/2017, o indicador permanece em patamar elevado, próximo dos maiores valores atingidos em seu histórico.

Fonte: Fecomércio RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *