Internet das coisas deve movimentar R$ 420 bilhões no Brasil até 2025

Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estima uma movimentação de US$ 132 bilhões (cerca de R$ 420 bilhões) na economia brasileira por meio de iniciativas de Internet das Coisas até 2025.

O número está no estudo Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil, financiado pelo BNDES e realizado por um consórcio liderado pela consultoria McKinsey, com a participação da Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (Fundação CPqD) e o escritório de advocacia Pereira Neto Macedo.

O levantamento subsidiará a formulação de políticas públicas e ações para a internet das coisas no país entre 2018 e 2022. A Internet das Coisas é um conceito tecnológico em que uma rede de objetos se comunicam e interagem de forma autônoma pela internet, impactando em ações da vida cotidiana.

Saúde, cidades, indústria e rural são as áreas prioritárias do plano.

A proposta do Hospital 4.0, por exemplo, pretende reduzir filas de atendimento, custos de operação e infecção hospitalar, entre outros indicadores, com uso da tecnologia. O documento também sugere a aplicação da Internet das Coisas para a melhoria do monitoramento de pessoas com doenças crônicas, para dar mais eficiência aos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) e unidades de atenção primária.

Entre as sugestões para as cidades inteligentes, o estudo aponta a possibilidade de elevar a qualidade de vida por meio da gestão integrada de serviços nas áreas de mobilidade, segurança e uso de recursos. Por exemplo, reduzir os tempos de deslocamentos, considerando as diferentes modalidades de veículos, e aumentar a atratividade do transporte coletivo. Na área de segurança, o documento traz medidas para aumentar a capacidade de vigilância e monitoramento.

No meio rural, a proposta inclui aumentar a produtividade e a relevância do Brasil no comércio mundial de produtos agropecuários. Entre as iniciativas, está a “Fazenda Tropical 4.0”, que pode melhorar a produtividade e a qualidade da produção por meio do monitoramento de plantas e animais. Na área de indústria, por sua vez, o uso da Internet das Coisas poderá ajudar pequenas e médias empresas a aumentar a produtividade por meio da integração das cadeias produtivas.

O estudo revela ainda a necessidade de aumentar a oferta e a qualidade de cursos de formação voltados à Internet das Coisas, por meio, por exemplo, de financiamento de estudos e projetos pilotos que comprovem os benefícios de tais tecnologias. A implementação de um marco regulatório para lidar com os crescentes riscos à segurança da informação também está entre as sugestões do documento.

Fonte: Amanhã

FAÇA O DOWNLOAD DO DOCUMENTO AQUI >> 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *