Estado competitivo com melhor gestão

Posted on Posted in DESENV. MERCADO
Compartilhe:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook

Competitividade é a capacidade de uma organização cumprir sua missão, de forma mais ágil e eficiente que outras organizações competidoras. Desta forma, com competitividade, a iniciativa privada busca estar à frente da concorrência, sem o que seria impossível sobreviver no atual contexto econômico global. O mesmo empenho espera-se da gestão pública. Que suas ações promovam a construção de uma cultura de governança e gestão de excelência, indo além da prestação de serviços de qualidade, essenciais à população. Queremos ver nosso Estado assumir protagonismo, melhorando sua imagem em todos os segmentos, tanto no Brasil, quanto no Exterior.

É imperioso que tenhamos gestores capacitados e engajados na liderança das práticas, trazendo resultados que beneficiem a base econômica e a qualidade de vida da população. Esses gestores devem se aproximar cada vez mais do setor privado com objetivo principal de levar a sua expertise de gestão para a administração pública.

Um importante balizador para a eficiência na gestão pública é o Ranking de Gestão e Competitividade dos Estados. Trata-se do levantamento feito pelo Centro de Liderança Pública com apoio da Tendências Consultoria e da Economist Intelligence Unit, que analisa a capacidade competitiva dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal, sendo observados 64 indicadores, que servem para balizar os gestores públicos, a fim de que alcancem a excelência na gestão.

Este ano, o Rio Grande do Sul recebeu o Prêmio de Boas Práticas, com a Sala do Investidor. Uma iniciativa simples criada em 2011 para auxiliar os que desejam investir no Estado, desburocratizando processos e auxiliando até mesmo em oportunidades na busca de financiamentos.

Portanto, fica muito claro, para retomar o crescimento, é necessário que os governantes sejam cobrados, fiscalizados em seu comprometimento com a meritocracia, transparência, redução de gastos e implementação de programas de metas. Somente assim teremos um ambiente mais saudável para investimentos que tirem o País da crise, gerando empregos, renda e desenvolvimento para toda a sociedade.

Por Eduardo Fernandez – Presidente do Lide/RS

Fonte:  JCRS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *