20 de outubro de 2014

GESTÃO PÚBLICA

gestão-publica

É conhecido que o Estado apresenta grandes dificuldades em suas contas públicas. No entanto, independentemente das causas que nos levaram a essa conjuntura, para modificar o ambiente crônico de crise fiscal serão necessárias medidas que promovam alterações estruturais no Rio Grande do Sul. Por certo que não são ações de fácil implementação, mas que em contrapartida irão interromper o ciclo de insegurança fiscal que acompanha o Estado há décadas, permitindo que o Rio Grande do Sul volte a se desenvolver.

Entre os objetivos descritos no Mapa Estratégico da Agenda 2020 para o tema Gestão Pública estão o aumento da capacidade de investimento do Estado, através do equilíbrio fiscal, a redução da carga tributária, a modernização e o aumento da eficiência da gestão pública com adequação do tamanho do estado e, por fim, a garantia da transparência na gestão pública através de um sistema de monitoramento pela Sociedade.

Para atingirmos tais objetivos é essencial que os gestores enfrentem o desequilíbrio nas contas públicas reorientando a estrutura das despesas e receitas e reorganizando a forma de gestão. O Fórum Temático de Gestão Pública destacou algumas proposições que, uma vez adotadas, alterarão a conjuntura de crise fiscal que o Estado atravessa.

CLIQUE AQUI PARA FAZER DOWNLOAD DA PROPOSTA PARA GESTÃO PÚBLICA

Um comentário sobre “GESTÃO PÚBLICA

  • Conforme artigo do Ex Governador Jair Soarez foram criados muitos cargos em comissão
    Correio do Povo de 25 agosto de 2013
    Conforme Prefeito de Porto Alegre cortando gastos
    Foram cortados 10% cargos comissão da Prefeitura 95 funcionarios estimativa de valor R$ 1,5 milhão em 2013 R$ 4,9 milhões em 2014
    Se forem cortados 90% a economi a seria de R$ 13.500 em 2013
    R$ 44 milhoes 2014
    Penso que deveria ser diminuida quase que sua totalidade os cargos comissionados pois entram no lugar de pessoas que poderiam ser admitidas por concurso o que diminuiria os gastos e as questões de ma
    gerencia no serviço público pois são admitidas pessoas que não conhecem o serviço público em diretorias que deveriam ser preenchidas por cargos de carreira para que fossem melhor desempenhadas as funções .
    Isto também ocorre no Tribunal de Contas onde são colocados como conselheiros representantes dos partidos politicos ao invés de técnicos o que cria um órgão que julga politicamente.
    A assessoria de Deputados Federais é composta por cargos em comissão quando poderiam ser atendidos por quadro do congresso através de concurso público o que geraria economia para o a Camara dos Deputados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *